Ouça agora na Rádio

N Notícia

Minas Gerais vive momentos de tensão com risco de rompimento da barragem da Vale

FOTO: © AP Photo / Andre Penner

Minas Gerais vive momentos de tensão com risco de rompimento da barragem da Vale

O risco iminente de rompimento da barragem da Mina de Gongo Soco, em Barão de Cocais (MG), tem deixado cada vez mais tensos os moradores da região, informou Agência Brasil.

Informações Compartilhadas Agencia Brasil

Neste sábado, foi realizada uma simulação com cerca de 1,6 mil pessoas, 26,75% das mais de 6 mil pessoas que eram esperadas. Essa foi a segunda simulação de evacuação na cidade. 

O objetivo era reforçar o treinamento da população do município. As pessoas receberam instruções de como proceder em caso de emergência com a barragem Sul Superior da mina Gongo Soco.

Segundo o Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG), a barragem pode se romper entre este domingo (19) e dia 25 de maio. O MP recomendou que Vale adotasse imediatamente uma série de medidas para deixar claro à população de Barão de Cocais os riscos de rompimento da barragem de mineração Sul Superior, da Mina de Gongo Soco. O MP acrescentou que a mineradora não apresentou o estudo dos impactos relacionados ao eventual rompimento das estruturas da Mina de Gongo Soco. 

De acordo com a Defesa Civil a retirada das pessoas, no caso da evacuação, será feita por meio dos veículos fornecidos pela Vale.

A mineradora iniciou na última quinta-feira a construção de uma contenção de concreto. Em nota, a Vale informou que iniciou a terraplenagem para a construção da barreira, a 6 quilômetros da barragem.

"Além dessa estrutura que, após concluída, fará a retenção de grande parte do volume de rejeitos da barragem Sul Superior em caso de rompimento, a Vale está realizando intervenções de terraplenagem, contenções com telas metálicas e posicionamento de blocos de granito. Essa obra atuará como barreira física no sentido de reduzir a velocidade de avanço de uma possível mancha, contendo o espalhamento do material a uma área mais restrita", explicou a mineradora.

A barragem Sul Superior é uma das mais de 30 estruturas da Vale que foram interditadas após a tragédia de Brumadinho (MG), ocorrida em 25 de janeiro. Em diversos casos, a interdição foi acompanhada da evacuação das zonas de autossalvamento, áreas que seriam alagadas em menos de 30 minutos ou que estão situadas a uma distância de menos de 10 quilômetros. Atualmente, mais de mil pessoas estão fora de suas casas em todo o estado.

Barão de Cocais é o município com o maior número de casas evacuadas. A evacuação teve início no dia 8 de fevereiro quando a barragem Sul Superior atingiu o nível 2 e as famílias foram levadas para quartos de pousadas e hotéis custeados pela Vale. Em 22 de março, a barragem Sul Superior se tornou a primeira a atingir o nível 3, que é considerado o alerta máximo e significa risco iminente de rompimento. Desde a tragédia de Brumadinho, quatro barragens da Vale em Minas Gerais alcançaram esse alerta máximo, informou Agência Brasil.

FONTE: Sputnik Brasil
Link Notícia