Ouça agora na Rádio

Ouça agora

Em plena pandemia, filhos dizem que melhor presente para as mães é vacina: ‘Dose de esperança com amor’

Postado em 10/05/2021 por

Compartilhe agora.
Nesse domingo (9), filhos aguardam e também comemoram imunização de suas mães, em Mato Grosso do Sul. Desde o início da pandemia, estado já registra 255.717 casos confirmados de Covid-19.
Loren com a mãe comemorando 1º 'Dias das Mães' com vacina contra a Covid-19, em Campo Grande (MS). — Foto: Arquivo Pessoal
Loren com a mãe comemorando 1º ‘Dias das Mães’ com vacina contra a Covid-19, em Campo Grande (MS). — Foto: Arquivo Pessoal

O primeiro dia das mães com imunizantes disponíveis desde que começou a pandemia da Covid-19 em Mato Grosso do Sul, a vacina tem se tornado para muitos filhos, o principal e mais valioso presente que desejam às suas mães neste domingo (9).

Segundo dados do último boletim divulgado neste sábado (08), pela Secretaria de Estado de Saúde (SES). Desde março de 2020, início da pandemia, o estado já registra 255.717 casos confirmados de Covid-19. De lá para cá, 5.990 pessoas morreram vítimas da doença.

Mas em tempos sombrio, a “dose de esperança com amor”, para muitos filhos, aumenta o desejo pela vida de ter uma das pessoas que mais ama por muito mais tempo. É o caso do empresário Wellington Nascimento, que segundo ele, nesse dia das mães, não há maior e nem melhor presente do que a imunização contra a doença.

Wellington com a mãe Sônia, última viagem, antes da pandemia. — Foto: Arquivo Pessoal
Wellington com a mãe Sônia, última viagem, antes da pandemia. — Foto: Arquivo Pessoal

Conforme o empresário, a mãe dele, Sônia Nascimento, de 56 anos, já recebeu a primeira dose da Coronavac e aguarda a segunda [dose] pelos próximos dias:

“Estou extremamente feliz e acredito que muitos filhos passarão com suas mães nesse dia por conta da vacina. Minha mãe tem comorbidades e mesmo assim tomamos todos os cuidados. Com certeza, é o melhor presente, porque é uma esperança de vivermos por mais tempo juntos “, explicou ao G1.

Nascimento conta que os dois moram e trabalham juntos e desde o início da pandemia, a rotina mudou: “Quando chegamos em casa depois do expediente, vamos direto para o banho, além de todos os cuidados para não contrair essa terrível doença”, conta.

Conforme a empresária Maria Aparecida da Silva, esse domingo é o melhor presente que a mãe dela, de 69 anos, poderia ganhar. Dona Custódia Malaquias, já recebeu as duas doses da Coronavac e está imunizada.

Custódia Malaquias já imunizada contra a Covid. — Foto: Arquivo Pessoal
Custódia Malaquias já imunizada contra a Covid. — Foto: Arquivo Pessoal

“Essa vacina foi muito esperada. Eu tinha uma preocupação muito grande com minha mãe e hoje, imunizada, é um presente muito grande. Nesse dia, como filha, eu sou imensamente grata”, explicou ao G1.

A pedagoga, Loren Paiva, de 23 anos, conta que comemorar o dia das mães com muita saúde nesse período de pandemia, é muito gratificante. Apesar das duas contraírem o vírus, a mãe foi a que mais ficou debilitada. A jovem ainda afirma que hoje é um dia para celebrar em dose dupla – pela vida e pelo dia das mães.

“Creio que para muitas famílias, desde que chegaram as vacinas contra esse vírus, esse dia das mães se tornará muito mais especial pra muitas famílias. Enquanto muitas pessoas passarão hoje sem sua mãe que perdeu a batalha para a Covid, quem venceu, precisa agradecer, diz Loren emocionada.

Lourdes, mãe de Loren, recebendo primeira dose da Coronavac, em Campo Grande (MS). — Foto: Loren Paiva/Foto
Lourdes, mãe de Loren, recebendo primeira dose da Coronavac, em Campo Grande (MS). — Foto: Loren Paiva/Foto

Loren conta que acompanhou a mãe, Lourdes Paiva, de 57 anos, para tomar a primeira dose de vacina que foi há 7 dias e afirma que foi uma experiência única. As duas ficaram 2 horas na fila e a jovem afirma que o presente do dias das mães chegou antecipado:

“Eu gravei e tirei foto dela sendo imunizada. Moramos juntas e eu que trabalho com crianças e tenho contato com várias pessoas externas, minha mãe ser imunizada, é o que mais esperava. Fiquei emocionada e esse foi o melhor presente, tanto para ela, quanto para nossa família”, contou

O fisioterapeuta, de 25 anos, Bruno Henrique, conta que a mãe ainda não foi imunizada porque teve que realizar uma viagem de urgência por conta da empresa familiar e agora, precisa aguardar a repescagem. Bruno afirma que ele e a mãe, Vera Mazzarotto, de 56 anos, tomam todos os cuidados necessários para não contraírem o vírus.

Bruno com a mãe, Vera Mazzarotto, aguardando imunização, em Campo Grande.  — Foto: Arquivo Pessoal
Bruno com a mãe, Vera Mazzarotto, aguardando imunização, em Campo Grande. — Foto: Arquivo Pessoal

“Moramos juntos e nesse dia das mães, a vacina não é um presente só para hoje, mas para toda vida. Como trabalho na área da saúde eu já fui imunizado, mas seu eu pudesse passar essas doses para ela, eu passaria com toda certeza”, finaliza.

Fonte/Dados: G1 MS

Por: Thiago Silva

Deixe um comentario

Estamos felizes por você ter optado por deixar um comentário. Lembre-se de que os comentários são moderados de acordo com nossa política de comentários.